Quando cantas, pequeno pássaro? (When will you sing, little bird?)

Em Março toda a acção se junta

Na Primavera o tempo pergunta

Quando cantas, pequeno pássaro Buddha?

 

O Inverno tem sido muito frio

A tua voz o mundo necessita

Agora só se escuta

O rugido do vento da Morte

Que ceifa vidas

Dos fracos e dos fortes

Pessoas que ainda não ouviram a tua doce voz do Dharma.

 

Ouve-se o assobio das bombas que caem

Os gritos da Terra violada

O disparo dos tiros que cortam o choro das crianças inocentes

Rasgando os coracões dos seus parentes

Como se vive sem coração?

 

Quão grande será o sofrimento destes pais culpados?

Que vivem mais tempo que os seus pequenos

Como se libertarão das cicatrizes de uma esterilização forçada?

Como se liberatarão da raiva?

Da vontade de retribuição

De mais e mais sofrimento no ciclo da existência

Como se libertarão?

 

Só a tua doce voz do Dharma…

Só a tua doce voz do Dharma…

 

Em Março toda a acção se junta

Na Primavera o tempo pergunta

Quando cantas, pequeno pássaro Buddha?

 

Dharma como fruta se madura

Para chegar a Primavera

Três estações se espera

Para o brilho da Lua Cheia

Três fases se transforma

Para o caminho a Deus começar

Sete pecados mortais se expia

Para o Buddha em si acordar

As quatro Nobres Verdades se internaliza

Para a Lótus de Oito Pétalas se abrir

O Caminho Óctuplo se pratica

 

Lá dentro

O pequeno pássaro Buddha espera…

 

Em Março toda a acção se junta

Na Primavera o tempo pergunta

Quando cantas, pequeno pássaro Buddha?

 

Em Março

Primavera chega

Dharma madura

Lua Cheia brilha

O caminho a Deus começa

Buddha acorda

A Lótus de Oito Pétalas abre

E o pequeno pássaro Buddha canta!